Telefone: 21-3472-1981 / 97901-7355

Maior grupo de atletas paralímpicos palestrantes do Brasil

Histórias de superação da vida real contadas por pessoas que sabem como vencer as barreiras em diversas áreas sociais. São palestras motivacionais ou técnicas direcionadas para todos os seguimentos e todas as empresas, falam sobre Perseverança, Coragem, Determinação, trabalho em equipe, liderança, Reabilitação e nutrição, Obstinação, Trajetória, saúde, Stand up e muito mais. Contamos com mais de 100 palestrantes em todo o Brasil, atletas, atores, cantores, humoristas e caso não encontre quem procura no site e só falar conosco que a Emprol RH procura e traz!

Jefinho Baiano, atleta e bicampeão dos Jogos Paralímpicos no Futebol de 5

Jefinho Baiano

Jefinho Baiano



Bicampeão dos Jogos Paralímpicos (Pequim-2008 e Londres-2012); bicampeão do Mundial da IBSA (Inglaterra-2010 e Japão-2014); tricampeão dos Jogos Parapan-Americanos (Rio-2007, Guadalajara-2011 e Toronto-2015); bicampeão da Copa América IBSA (Argentina 2009 e 2013); Melhor Jogador do Mundo em 2010.
Um glaucoma aos 7 anos de idade ocasionou na perda da visão do atleta. O baiano começou na natação, passou pelo atletismo, mas foi no futebol de 5 que se encontrou aos 12 anos.
Sua palestra é uma oportunidade de conhecer de perto uma vida de superação e conquistas!

Desafio Internacional Futebol de 5 from MPIX on Vimeo.

Dudu do Cavaco palestrante com Síndrome de Down.

Dudu e Leonardo

Dudu do Cavaco e Leonardo Gontijo - Mano Down


A carreira musical começou muito cedo, aprendeu a tocar pandeiro, e aos doze anos veio o cavaquinho, seu instrumento preferido atualmente. Hoje faz parte do grupo de samba Trem das Onze e tem sua própria banda: Dudu do Cavaco e Banda Dudu toca sete instrumento e é o primeiro músico com down do Brasil é gravar um DVD e CD. Dudu também é constantemente convidado para abrir solenidades, e fazer participações especiais em programas de TV, como o TV Xuxa e Encontro com Fátima Bernardes.. Já fez mais de 150 palestras e 80 shows e já abriu um show do Jota Quest no novo Mineirão.

Sobre Leonardo Gontijo:

Idelizador do Instituto Mano Down e do Portal incluo. Professor da Fundação Dom Cabral. Mestre em Administração. Advogado. Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho. Consultor nas temáticas sustentabilidade e inclusão.

Uma ótima oportunidade para empresas, escolas, instituições e SIPATs. A partir do conceito de "Inclusão" e tendo como pano de fundo o Amor Leonardo (autor de vários livros , dentre eles: Mano Down: Relatos de Um Irmão Apaixonado) e Eduardo ( Dudu do Cavaco é o primeiro músico com down a ter uma banda própria e gravar seu DVD) contam através de falas e músicas o percurso de dois irmãos em busca de autoconhecimento e superação. Relatam trajetórias de vida que se cruzam. Também desenvolvem os seguintes temas: trabalho em equipe, liderança, propósito, diversidade, motivação, disciplina, perseverança, comunicação, comportamento, definição de metas, sonhos, possibilidades e trabalho em equipe.

Você terá a oportunidade de assistir uma palestra personalizada para seu evento com bastante sentimentos, emoção; com abordagens sobre inclusão, diversidade, superação, força de vontade, motivação, perseverança, empatia, cumplicidade mas sobretudo com muito Amor. A palestra não "fala simplesmente da Síndrome de Down" e sim de como uma pessoa é capaz de instaurar inúmeras mudanças em nossas vidas e como podemos aprender com situações não planejadas.

Contamos nossa história através de músicas, falas e fazemos analogias com o mundo empresarial, escolar e familiar.

Wanderson Oliveira , Medalhista de Bronze na Paralimpíada RIO 2016 no Futebol de 7

Wanderson Oliveira

Wanderson Oliveira

Medalhista de bronze na paralimpíada RIO 2016, na infância sempre gostou de jogar futebol, era uma das coisas que mais gostava de fazer. Até o dia que colocou na cabeça que seria um jogador de futebol, mas para isso teria que correr atrás desse meu grande sonho.
E em 2007, conheceu o Futebol de 7 para Paralisados Cerebrais, através de um amigo que na época era atleta. Foi quando também conheceu o técnico da Seleção Brasileira Professor Paulo Cruz, a partir daí mudou sua vida. Ele foi convidado a fazer parte de sua equipe no IBDD. E em pouco tempo fui convocado para a Seleção Brasileira de Futebol de 7 – PC, e com 19 anos, pode participar da primeira Competição Internacional, o Mundial, realizado no Rio de Janeiro em Novembro de 2007. E até hoje vem com muita dedicação, seriedade e humildade, se mantendo na Seleção Brasileira.
Hoje pode dizer que é um jogador de futebol!
Geraldo Magela , melhor humorista cego do Brasil

Geraldo Magela

Geraldo Magela

É o melhor humorista cego do Brasil. Mesmo porque, só tem ele. Antes de ser humorista, na infância, foi vendedor de picolé, refresco, bolinho de espinafre, carregador de feira. Quando adulto, fez como a maioria dos deficientes visuais: vendeu loteria. Um tremendo pé frio, não vendeu um prêmio sequer. Também fez locução em lojas, anunciando produtos do tipo: camisas que depois de lavadas servem para o irmão mais novo, calças que depois de lavadas viram bermudas. Sempre de um jeito diferente, Geraldo Magela ficava escondido, anunciando os produtos fazendo imitações de personagens famosos, dando a entender que os mesmos estavam ali presentes.

A carreira artística começou no rádio. Como ouvinte, ganhou um concurso em um programa do maior nome do rádio mineiro, Aldair Pinto. O prêmio: uma lata de café de 2 kg, que tinha, na verdade, 1kg e 250g. Mas, Aldair Pinto pediu que Geraldo Magela fizesse algumas imitações e o convidou a participar do seu programa. Depois, passou a ter um programa só seu e trabalhou em diversas rádios mineiras. Rádio Incofidência, Rádio Capital, Rádio Itatiaia.

A primeira experiência na televisão foi na Rede Minas, apresentando um programa de rádio dentro da TV, chamado “Rancho Fundo”. No teatro começou com aa peça “Radioatividade”, uma programação de um dia em uma rádio feito no palco. Logo depois, apresentou o show “Cegos, mancos e loucos” com Kaquinho Big Dog. Cego era ele, Kaquinho era o manco e os loucos eram os que iam assisti-lo.

Em 1996, Geraldo Magela lança o show que o consagrou “Ceguinho é a Mãe”, no programa “Jô Soares Onze Meia”, ainda no SBT. A partir daí sua carreira decolou. E o humorista participou dos principais programas de televisão do país. Além disso em 2011 Geraldo Magela teve a oportunidade de trabalhar com o diretor Pablo Villaça ao ser convidado a participar do curta “Morte Cega”, comprovando seu talento também como ator.

Sobre sua experiência no cinema, o diretor/roteirista do filme “Morte Cega” diz: “Trabalhar com o Magela no filme “Morte Cega” foi um prazer e uma surpresa. Um prazer por ter um ator não apenas dedicadíssimo que chegou super preparado para as filmagens, mas que também divertiu toda a equipe ao longo das várias horas nos sets; e surpresa por perceber como mesmo nunca tendo atuado no Cinema, Geraldo criou não uma, mas DUAS versões do mesmo personagem, revelando-se mais do que um comediante talentoso, mas também um ator versátil.”



DJ Anderson Farias, há 12 anos trabalha com “tecnologia assistiva” e consultoria

DJ Anderson Farias

DJ Anderson Farias

Há 12 anos trabalha com “tecnologia assistiva”, palestras, consultoria, além de ser DJ profissional. Já palestrou em diversas empresas como AAPSA, Bradesco, Real/Santander, Brasil Telecom, Reatech, Faculdade Hotec. Desenvolveu  o primeiro curso de DJ voltado para cegos com apoio da Secretaria Municipal de Cultura de SP. Fala sobre temas gerais como: empreendedorismo da pessoa com deficiência visual; Como atender/ recepcionar corretamente as pessoas com deficiência  em hotéis, lojas, casas de shows e todo espaço público que preze  pelo bom atendimento aos clientes; balada motivacional, que consiste em uma dinâmica em que as pessoas são convidadas a dançarem por 10 a 15 minutos de olhos vendados, para falarem sobre o medo do novo, o desconhecido, superação, correr atrás de um sonho. Após 12 anos com carteira assinada deixou o emprego fixo e abriu a própria empresa para empreender no segmento de eventos. "A vida é complicada para todos, eu apenas preciso me adaptar todos os dias para viver com o diferencial de ser deficiente visual"





Glauco Cerejo, É músico (saxofonista e flautista), professor de música, e produtor musical.

Glauco Cerejo

Glauco Cerejo

É músico (saxofonista e flautista), professor de música, e produtor musical. O carioca Glauco Cerejo iniciou seus estudos musicais no Instituto Benjamim Constant, em 1984, cursando posteriormente o Conservatório Brasileiro de Música. Foi acometido por cegueira causada por retinose pigmentar, com perda visual lenta e progressiva. Glauco sempre foi amante do Jazz, do Blues, da MPB e da Bossa Nova. Atuando no circuito musical desde 1985, apresentou-se em diversos shows pelo Brasil e em vários países da América Latina, Europa e Ásia, como solista, ou ao lado de artistas de renome como Rosa Marya Colin, Ney Matogrosso, Pedro Luís e a Parede, com quem gravou o CD Vagabundo, além de dois DVDs homônimos. Com base em suas experiências de vida como músico, Glauco oferece palestras sobre temas gerais ligados à inclusão da pessoa com deficiência. Veja alguns dos contrantantes desse profissional: Associação Brasileira de Franchising – RJ (ABF-RJ), Associação Nac. das Soc. de Fomento Mercantil Factoring (ANFAC), Academia Fluminense de Medicina, Amil Assistência Médica Internacional, AMPLA Energia Niterói, APPERJ (Associação Profissional de Poetas do RJ), Associação Médica Fluminense, AT&T do Brasil, Banco do Brasil, Barra Garden Shopping Center, Barra Point Shopping Center, Barra Square Shopping Center, Botafogo Praia Shopping, C&A, Casa Show, Casas Sendas, Clínica Odontológica Implante Rio, Clube da Light, Clube de Futebol e Regatas do Flamengo, Hospital Central do Exército (HCE), Hospital do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, Hospital Miguel Couto, Hotel Debret, HSA Brasil (Handicapped Scuba Association - Brasil), Instituto Benjamim Constant, Laboratórios Mayne, Pfizer e Alcon, Museu Histórico Nacional do RJ, Odebrecht, Petrobras, Planetário da Gávea, Sodexho do Brasil, SOPTERJ (Sociedade de Pneumologia e Tisiologia do RJ), Supermercados Extra, Supermercados Prezunic, Supermercados Superprix, Supermercados Zona Sul, Texaco, Total Care, Transpetro, UNAFISCO - Associação dos Auditores Fiscais da Receita Federal, Vale.





Christina & Roberto

Roberto dos Santos

40 anos, é ator profissional, estrategista em vendas e coach. Ficou paraplégico em 2005, após ser vítima de um acidente de motocicleta. Como cadeirante já realizou façanhas incríveis. A maior até agora foi percorrer o desafiador Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, uma rota de 790 quilômetros. Realizou esse feito inédito em 2013 – ao lado de outro companheiro cadeirante – por meio de uma bicicleta adaptada para se pedalar com as mãos. Criou duas palestras especiais sob o tema "Tocando a Vida sobre Rodas" e Resiliência, com qual realizou eventos em grandes corporações como a Embraer, Bradesco Seguros, TOTVS, Faap, Univap, ETEP, Embratel, Poupa Tempo, World Bike Tour, entre outras. O conteúdo aborda temas gerais do trabalho em equipe, metas e objetivos, superação de obstáculos e grandes mudanças. Quer saber um pouco mais sobre ele? Dá uma olhada nesse trechinho de uma das suas palestras. "Não se conforme com as críticas. Não dê ouvido aos nãos. Desacredite dos limites, e, principalmente, acredite em seus sonhos. Planeje, trace a estratégia e vá para a ação, pois sem atitude, nada é possível. O nome desse jogo é vida. E a regra para a vitória: a resiliência".

Christina Holmes Brazil

Deficiente visual com vasta experiência na área Jurídica, Recursos Humanos, e acadêmica como professora universitária na ABEU - Centro Universitário – UNIABEU e Faculdades Integradas Maria Thereza. É graduada em Direito na  C-UAM e em Pedagogia na  UFRJ, com  Mestrado  em  Educação  na  UFRJ e Especializada  em  Educação  Especial na  UNIRIO. Trabalhou na Redes D´OR São Luiz S.A, inicialmente como assistente jurídico, e, posteriormente como assistente de RH. É palestrante renomada com diversos trabalhos apresentados: Deficiência e Eficiência: a busca por uma inclusão sustentável; Inclusão e Escola: experiência de alunos e professores; Estilos de Gestão e Culturas de Inclusão /Exclusão; Políticas Internacionais de Inclusão; Deficiência visual em foco; Inclusão: possibilidades para reflexão; A interação da criança portadora de necessidades na escola, família e sociedade.

Dudê (Eduardo Martins), nascido sem as duas mãos e sem o pé esquerdo é músico há mais de 20 anos.

Dudê (Eduardo Martins)

Dudê (Eduardo Martins)

43 anos, mais conhecido como Dudé Vocalista. Nascido sem as duas mãos e sem o pé esquerdo (possivelmente em decorrência de uma talidomida), ele é músico há mais de 20 anos – mesmo sem as mãos, toca em banda de blues e rock. Desde muito jovem, passou a questionar os paradigmas que impõem um padrão médio de comportamento. Foi por causa desses questionamentos, que Dudé se deparou com a pergunta clássica: de onde surgiu o mito do ''Exemplo de Superação''? Inspirado nesse debate, ele produz música, conteúdo para seu blog ''Exemplo de quê'' e para Revista Reação, além de diversas palestras. Em empresas e faculdades, por exemplo, Dudé pode provocar grandes debates e quebrar paradigmas por meio de shows com sua banda. É um dos ativistas mais atuantes do momento. Estudou canto popular com o professor Nando Fernandes, durante seis anos. A partir de 2000 começou a lecionar aulas particulares de música. Fez curso de formação de atores em 2004 pela Oficina dos Menestreis e trabalhou como ator e músico de apoio para a Cia Mix Menestreis de 2004 a 2008. Canta na noite paulistana desde 1989, estando à frente de bandas dos mais diferentes estilos (Rock, Blues, MPB). Em 2009, participou da montagem da Opera Rock Jesus Christ Superstar, produzida pela ABTM (Academia Brasileira de Teatro Musical). Trabalha como produtor musical desde 2010. Atualmente é vocalista e um dos produtores musicais da banda Dudé e a Máfia.

Ethel Rosenfeld Palestrante PCD, Deficiente visual desde os 13 anos de idade.

Ethel Rosenfeld

Ethel Rosenfeld



Deficiente visual desde os 13 anos de idade.

Formada em Letras – Português e Inglês e também em Educação Especial.

Após 35 anos de trabalho com educação e reabilitação de pessoas com deficiência visual na Prefeitura do Rio de Janeiro e trabalhos paralelos, fizeram com que pudesse conhecer de perto outros tipos de deficiência e aprender muito com o convívio.

É a primeira professora cega do Município do Rio de Janeiro.

Ajudou a introduzir a cultura do cão-guia no Brasil

Toda a sua trajetória profissional rendeu notoriedade e em agosto de 2013 foi convidada pela NEXTEL para participar de uma peça publicitária para a TV aberta.

Após sair do serviço público, resolveu empreender em uma assessoria empresarial, sensibilizando e capacitando e ministrando diversas palestras pelo Brasil com temas diferenciados:

  • A importância da reabilitação da Pessoa Portadora de Deficiência Visual e a preparação para o trabalho
  • Aspectos gerais e específicos do atendimento ao deficiente visual
  • A importância da Reabilitação da Pessoa Portadora de Deficiência Visual
  • O Deficiente e a Sociedade
  • Educação e Reabilitação  da Pessoa Portadora de Deficiência
  • Competência Visual
  • Abordagens inclusivas de ensino para alunos com Deficiência Visual
 

“Para todas as dificuldades existem soluções e para todas as limitações adaptações. Os impedimentos poderão não existir quando as pessoas estão dispostas a descobrirem junta, a melhor forma de alcançar o que desejam”.

Lucia Sodré – Professora Especializada em Educação Física Adaptada



Sergio , É triatleta paraolímpico. Usa o esporte e sua história de superação como ferramenta de motivação em palestras

Sergio Silva

Sergio Silva

É triatleta paraolímpico. Usa o esporte e sua história de superação como ferramenta de motivação em palestras para empresas e eventos. Participa de provas da categoria PT4, que inclui atletas com limitação de atividade comparável à deficiência nos membros, hipertonia, ataxia e atetose, ou força muscular diminuída. Nos segmentos de ciclismo e corrida, o atleta pode usar prótese previamente aprovada ou outros dispositivos de apoio. Coleciona títulos e posições importantes como: GP Extreme 2012 (campeão na categoria); Meia Maratona de São Paulo 2012 (4º colocado na categoria); Meia Maratona Corpore 2012 (4º colocado); 3º Interestadual de Brotas SPTRI. 2012 (campeão); Campeonato Paulista de Paratriathlon 2012 (Campeão Paulista 2012); 22º Internacional de Santos 2013 (campeão).

Julio Cesar, bicampeão pela Democracia Corintiana de Sócrates, jogou ainda no Palmeiras, seleção brasileira e Europa

Julio Cesar

Julio Cesar

Bicampeão pela Democracia Corintiana de Sócrates, jogou ainda no Palmeiras, seleção brasileira e Europa. Formado em Programação Neurolinguística na faculdade Livre de Bruxelas, após encerrar a carreira trabalhou como Gerente de vendas na Pirelli Italiana por 8 anos, o que lhe proporcionou enorme conhecimento das maiores dificuldades no setor empresarial dentro e fora do Brasil. Aos 35 anos ficou completamente surdo e voltou aos campos como educador, quando desenvolveu metodologia para desenvolver habilidades em crianças surdas através do esporte que hoje beneficia mais de 200 mil crianças surdas. Escreveu livro sobre sua trajetória chamado Jogadas da Vida. Julio Cesar tornou-se Palestrante empresarial e desenvolveu palestra sobre sua trajetória apresentada em mais de 600 empresas dentro e fora do país com enorme sucesso. Considerado um dos maiores palestrantes do Brasil nas áreas de Motivação e Superação, Julio Cesar aprendeu tocar piano depois de surdo e compôs um Concerto clássico que já apresentou com Maestro Rodrigo Vitta e maestro João Carlos Martins, o que lhe rendeu o apelido de Bethoveen Brasileiro. Julio Cesar usa seus exemplos de vida para fazer analogia com os problemas empresariais além de tocar piano durante a palestra como exemplo de superação.

Assista o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=9GbSi475ut0

Luciano Alves, pintor, pós-graduado (MBA) em Administração de Marketing e Comunicação Empresarial.

Luciano Alves

Luciano Alves

Luciano Alves é pintor, pós-graduado (MBA) em Administração de Marketing e Comunicação Empresarial. Filho único, ficou tetraplégico, aos 15 anos, após acidentar-se nas pedras da praia do Arpoador (RJ), em janeiro de 2002. Deu entrada no CTI do hospital Miguel Colto desenganado pelos médicos. Foi submetido a uma cirurgia de alto risco, menos de 10% de chance de sobreviver. Apesar desse diagnóstico, Luciano teve uma melhora clínica surpreendente. No mesmo dia em que saiu de alta do hospital foi para ABBR (Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação), onde ficou internado a princípio para reabilitação. Posteriormente, passou a frequentar a instituição duas vezes por semana para continuar o tratamento. A arte surgiu na vida de Luciano Alves de forma rápida, intensa e despretensiosa. Após uma oração a Deus em meio a um processo de reconhecimento pessoal, se enveredou pela pintura, caminho até então desconhecido. As telas do pintor retratam natureza, infância, cotidiano, esportes, paisagens, além do recente estudo de figuras humanas que o artista tem se dedicado. Admirador da obra de Van Gogh possui tendência às cores quentes, dando um ar tropical à obra. Em 2003, realizou sua primeira exposição. No ano seguinte aceitou o desafio de fazer uma demonstração de pintura ao vivo, no SESC - Ramos, que lhe rendeu muitos convites para exposições em diversos lugares do Brasil. No mesmo ano, conheceu a Associação de Pintores com Boca e os Pés - APBP. Enviou alguns trabalhos para a curadoria, na Suíça, e no início de 2005, já fazia parte do grupo seleto de pintores que a Associação incentiva através de uma bolsa de estudos. A arte abriu um novo horizonte para Luciano. Atualmente, ele também serve de inspiração para muita gente. Realiza diversas palestras de motivação, inclusão e acessibilidade. Luciano ajuda pessoas a resgatarem seu valor enquanto seres humanos, usando como parâmetro a própria vivência. “Para mim a vida não para, porque minha fé não para. Se a vida me impõe barreiras, minha mente cria inúmeras maneiras para eu transpor as barreiras.”



Gonçalo Borges, Formado em Comunicação Social e Educação Artística é artista plástico (ilustrador) e palestrante.

Gonçalo Borges

Gonçalo Borges

Formado em Comunicação Social e Educação Artística é artista plástico (ilustrador), e palestrante. Tem deficiência congênita nos membros superiores, e leve deformação no tronco e nas pernas. Participou de vários concursos de desenho em campanhas educativas de trânsito, prevenção contra o perigo dos balões, entre outros. Ganhou diversos prêmios, inclusive da UNICEF. Empresário renomado, há 14 anos ministra diversas palestras motivacionais, incluindo eventos internacionais: “Conferência para Empreendedores (São Bernardo do Campo, no ABC paulista); “Conferência para Analistas de Mercado Sanofi-Aventis”; Conferência para Jovens Líderes Rotary (Suzano / SP); Conferência para Distribuidores da RACCO Cosméticos (BH), entre outras. Já participou de diversas reportagens na TV, nas emissoras Record e Bandeirantes, por exemplo. É autor do livro Vencendo com arte, onde relata as dificuldades enfrentadas ao longo da vida, e como conquistou o status de uma pessoa digna, com profissão e independência, apesar do preconceito e da falta de informação.

Rodolfo Ferrim, Mostra ao público como suas iniciativas o fizeram superar obstáculos com inteligência e estratégia

Rodolfo Ferrim

Rodolfo Ferrim

Mostra ao público como suas iniciativas o fizeram superar obstáculos com inteligência e estratégia. Durante uma hora aproximadamente, Rodolfo Ferrim traz ao público a sua trajetória de vida depois que adotou a cadeira de rodas, traçando um paralelo com o mercado de trabalho, a vida pessoal e o dia a dia de todos nós. A adaptação da nova vida sem andar, a difícil reabilitação e as adversidades da paraplegia emocionam a plateia, com um toque de bom humor e simpatia. Com planejamento e estratégia, Ferrim recomeçou com boa dose de atitude e superou os obstáculos que pareciam impossíveis, alcançando sucesso e alegrias. Sua palestra é um convite a reflexão com o objetivo de inspirar grandes ações. Sobre o palestrante: Rodolfo Ferrim, realiza palestras para todos os públicos. É locutor profissional desde o ano 2000, trabalha em apresentações de eventos como Locutor, Cerimonialista, Palestrante e faz parte, como ator, da Oficina dos Menestréis desde 2007.

Billy Saga, Rapper, Publicitário, Artista plástico, Presidente da Ong Movimento SuperAção.

Billy Saga

Billy Saga

Rapper, Publicitário, Artista plástico, Presidente da Ong Movimento SuperAção, Consultor da ONG Mais Diferenças, Conselheiro da Ouvidoria da Defensoria Geral do Estado de São Paulo e Palestrante. Em 1998 Billy descia com sua moto a Rua da Consolação quando uma viatura, sem qualquer sinal, atravessou o semáforo vermelho e o atingiu frontalmente, arremessando-o para o outro lado da avenida. Resultado: uma lesão medular que o deixou paraplégico. Diante do novo mundo em cima de uma cadeira de rodas e disposto a não se entregar às injustiças da sociedade perante o problema da acessibilidade e do direito da pessoa com deficiência, Billy funda, junto com um grupo de amigos, a ONG Movimento SuperAção, que tem como missão a luta pela garantia dos direitos humanos e a inclusão social e direciona suas composições musicais pela luta dos direitos humanos.Trabalha na divulgação do seu primeiro CD – Me jogue aos lobos e eu volto comandando a matilha. Resultado de quase duas décadas de dedicação ao rap, o disco solo de estreia do MC paulistano, pode ser considerado um dos mais autênticos e combativos trabalhos artísticos a abordar, nas entrelinhas de músicas com temas variados, o direito da pessoa com deficiência.Já realizou mais de 150 apresentações de Teatro na Cia Mix Menestréis e organizou 27 eventos socioculturais em militância pelo direito das pessoas com deficiência em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre no Brasil e Santa Fé e San Justo na Argentina. Tri-campeão da Batalha Racional de Freestyle - Sexta Free e um dos primeiros artistas plásticos brasileiros com deficiência, focado em Arte De’VIA (arte-surda).Pesquisador entusiasta da cultura inclusiva.



Messias Fernardes, atua como psicólogo, atende em consultório e realiza avaliação neuropsicológica.

Messias Fernardes

Messias Fernardes

Messias Fernandes de Oliveira nasceu em 1981, em Bom Jardim, Pernambuco, nordeste do Brasil. Em 1995, durante férias em Magé, no Rio de Janeiro, acidentou-se ao pular de uma pedra e bater a cabeça no fundo de um rio.
O impacto causou uma lesão na coluna, na altura do pescoço, que comprimiu a medula espinhal e o deixou tetraplégico.
Contrariando as expectativas, após três meses da cirurgia ele já podia andar, mesmo que com certa dificuldade e auxílio de terceiros. Reaprendeu a escrever, voltou para a escola e, já em 2001, retornou ao Rio e à ABBR. Hoje atua como psicólogo na instituição que o reabilitou, atendendo a pacientes que vivenciam situações semelhantes a que ele viveu. Além disso, clinica em consultório e realiza avaliação neuropsicológica.


Alarico Moura, mais conhecido como ALÁ, é um ex militar, formado em Engenharia eletrônica pelo CEFET e em Psicologia pela FAHUPE. Foi empresário no ramo automobilístico até o acidente em 21 de Dez de 1979.

AlÁ - Alarico Moura

AlÁ - Alarico Moura

Alarico Moura, mais conhecido como ALÁ, é um ex militar, formado em Engenharia eletrônica pelo CEFET e em Psicologia pela FAHUPE. Foi empresário no ramo automobilístico até o acidente em 21 de Dez de 1979. Começou a fazer atividades físicas como forma de reabilitação. Descobriu a paixão pela bicicleta a partir de 1983, começando a "SAGA do CENTAURO CIBERNÉTICO". Como atleta Profissional de Ciclismo ele conquistou alguns títulos: Campeão Brasileiro, Campeão Iron Biker Brasil, Duodeca-Campeão Estadual, Vice Campeão do Iron Biker.
Atualmente Alarico é artista plástico, diretor Paradesportivo da Federação de Ciclismo do RJ – FECIERJ, membro da Comissão da Segurança do Ciclista do RJ – CSCRJ e estuda Filosofia no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ.
Como palestrante profissional aborda temas como: motivação, auto-estima, empreendedorismo, resiliência, voluntariado, ativismo e estilo de vida, entre outros.
“ A DEFICIÊNCIA FÍSICA e o ESPORTE, me trouxe tantas realizações que não conseguiria descrever todas, mas, inclusão social, uma gama muito grande de trabalhos com responsabilidade social, saúde, disciplina, relacionamento internacional, palestras motivacionais pelo pais, quando posso levar para a sociedade a importância da nossa existência dentro da VIDA ... etc... Enfim me aproximar do meu EU, SER FELIZ”.

Conheça a história de Alarico Moura, ciclista que se tornou recordista após perder perna.

Claudio Maroto, Engenheiro de Produção, Pós Graduado em Docência do Ensino Superior em Tradução e Interpretação de Libras.

Claudio Maroto

Claudio Maroto


Engenheiro de Produção, Pós Graduado em Docência do Ensino Superior em Tradução e Interpretação de Libras ( Língua Brasileira de Sinais ), Coach pela Academia Brasileira de Coaching e Pós Graduando em Master Coach, Motivação e Liderança.
Seu filho foi diagnosticado com Associação de Charge ( Síndrome de Charge ), por se tratar de um quadro complexo, ocorreram várias complicações de saúde, na ocasião apresentava uma expectativa de aproximadamente dois anos de vida, hoje com 19 anos nos presenteia com uma fantástica história de superação acompanhado de muito entusiasmo pelo viver.
Hoje realiza a palestra “Acreditar para Vencer”, onde aborda diversos temas, entre eles superação e realização.

Christina Brazil Palestrante PCD, deficiente visual com vasta experiência na área Jurídica, Recursos Humanos, e professora universitária na ABEU.

Christina Brazil

Christina Brazil

Deficiente visual com vasta experiência na área Jurídica, Recursos Humanos, e acadêmica como professora universitária na ABEU - Centro Universitário – UNIABEU e Faculdades Integradas Maria Thereza. É graduada em Direito na  C-UAM e em Pedagogia na  UFRJ, com  Mestrado  em  Educação  na  UFRJ e Especializada  em  Educação  Especial na  UNIRIO. Trabalhou na Redes D´OR São Luiz S.A, inicialmente como assistente jurídico, e, posteriormente como assistente de RH. É palestrante renomada com diversos trabalhos apresentados: Deficiência e Eficiência: a busca por uma inclusão sustentável; Inclusão e Escola: experiência de alunos e professores; Estilos de Gestão e Culturas de Inclusão /Exclusão; Políticas Internacionais de Inclusão; Deficiência visual em foco; Inclusão: possibilidades para reflexão; A interação da criança portadora de necessidades na escola, família e sociedade.

Assista o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=0VCDg6tHclk

Fernanda Honorato, conhecida no mundo como a primeira apresentadora de TV com síndrome de down.

Fernanda Honorato

Fernanda Honorato

Ė conhecida no mundo como a primeira apresentadora de TV com síndrome de down. Desde 2006, trabalha no “Programa Especial” da TV Brasil, voltado para a inclusão da pessoa com deficiência. Mas foi no teatro que começou a se destacar muito antes disso. Atualmente, é dançarina de dança cigana e atleta da Sociedade de Sindrome de Down, na modalidade natação. Fernanda tem muito samba no pé e desfila todos os anos. Foi musa da Portela e recebeu das mãos do Príncipe Harry a medalha Rainha da Bateria dos Embaixadores da Alegria. Já participou de diversos programas de televisão, como o “Programa do Jô”, o TV Xuxa, ambos da Rede Globo, entre outros. Também atua como atriz, com participações em filmes e papéis no teatro. Participou da novela Páginas da Vida (Globo), na fase de depoimentos finais da novela. É palestrante renomada em todo Brasil.





Clodoaldo Silva, nadador. Acendeu a pira Paralímpica no Rio.

Clodoaldo Silva

Clodoaldo Silva

O atleta paraolímpico Clodoaldo Silva, natural de Natal, no Rio Grande do Norte, conheceu a natação no ano de 1996 como processo de reabilitação. Dois anos depois, participou do seu primeiro campeonato brasileiro conseguindo ganhar  três medalhas de ouro, e não parou mais de ganhar títulos mundiais. Em quatro paraolimpíadas (Sydney 2000, Atenas 2004, Pequim em 2008 e Londres, 2012,) ele coleciona a marca impressionante de 06 medalhas de ouro, 05 de prata e 02 de bronze. Com treze medalhas paraolímpicas, é o maior ganhador, em qualidade, do esporte brasileiro em edições dos jogos paraolímpicos. Trata-se de uma trajetória esportiva marcada por muitas dificuldades, garra, abdicação, superação e muita mais muita persistência e perseverança. O nadador é considerado um dos maiores atletas  da história do Brasil e do mundo. Em 2005, recebeu do Comitê paraolímpico internacional o titulo de melhor atleta do mundo, e do COB recebeu o prêmio de hors-concours, concedido até agora só aos dois Ronaldinhos: o gaúcho e o fenômeno. Toda essa carreira de sucesso é inspiração para Clodoaldo Silva viajar o Brasil com palestras  motivacionais, nas quais conta um pouco a sua história  e comprova que tudo é possível, para aqueles que crerem. Nos últimos cinco anos foram ministradas palestras para mais de 50 empresas, entre brasileiras e multinacionais. É ainda garoto propaganda e porta-voz da empresa Furnas, Centrais Elétricas e garoto propaganda e padrinho do Projeto Time Nissan. Integra o Grupo Bandeirantes de Comunicação como apresentador de um programa voltado para pessoas com deficiência pela Bradesco Esportes FM, Bandnews e TV Bandeirantes. Uma de suas maiores vitórias, e, orgulho, é quando recebe um elogio de uma criança, sem nenhum tipo de deficiência, que fala: "Quando eu crescer quero ser igual a você". Esse é Clodoaldo Silva, campeão e exemplo de vida dentro e fora d'água.

Jefferson Farias, ator e humorista com deficiência visual. trabalha na “A Praça é Nossa” do SBT.

Jefferson Farias

Jefferson Farias

É ator e humorista com deficiência visual. Gosta de interpretar e transformar as situações adversas da vida real de forma bem-humorada e divertida. Atualmente, trabalha na “A Praça é Nossa”, do SBT, com personagem fixo no quadro “Os Malandros”. Já atuou em outros programas de televisão, como o “Humor na Caneca”, no programa do Jô, e o quadro “Quem Chega lá”, no Domingão do Faustão, ambos da Rede Globo. Participou do Festival Disquete e ganhou premiação na categoria Ator Revelação de Humor. Também entrou para o gênero de comédia Stand-up, com apresentações nas mais conceituadas casas de espetáculos. Realiza palestras em diversas empresas com o tema “PCD – Persistência, Coragem e Determinação”. Trata-se de uma palestra motivacional de conteúdo intenso com abordagem em diversos temas: liderança, desafios, inclusão, reconhecimento profissional, trabalho em equipe, entre outros. Tudo com muito humor e muita superação.





Jane Karla, atleta paraolímpica, medalhista Tiro com Arco.

Jane Karla

Jane Karla

40 anos, não é uma atleta comum. Antes de tudo, pode-se dizer que essa medalhista paralimpica é uma guerreira de grandes feitos. Foi mesa-tenista de 2003 a 2014. Nesta modalidade, ganhou duas vezes os Jogos Parapan-Americanos: 2007 no Rio de Janeiro, e 2011 em Guadalajara, no México. Participou de duas Paralimpíadas, 2008 na China, e 2012 na Inglaterra. Eleita três vezes seguidas como a melhor atleta das Américas em 2007, 2009 e 2011. Em 2015, Jane Karla decidiu mudar de modalidade, para ficar mais perto da família em Goiânia (GO), e passou a competir no Tiro com Arco. A dedicação e adaptação ao Tiro com Arco foi tão grande que resultou em medalha de ouro nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto em 2015, no Canadá, e um 8º lugar no Campeonato Mundial. Assim, garantiu vaga para as Paralimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Vitória na vida pessoal. Aos 3 anos de idade foi acometida pela poliomielite, deficiência superada após muita batalha e apoio familiar. E nem mesmo um câncer de mama – já superado – parou a atleta guerreira. Além do esporte, Jane usa palestras motivacionais para comprovar que sempre é possível vencer qualquer obstáculo na vida.

Confira a reportagem sobre a Jane Karla. Clique aqui para assistir
Viviane Macedo, dançarina, professora de dança.

Viviane Macedo

Viviane Macedo

Dançarina, professora de dança.

Porta bandeira do Carnaval Carioca Tem uma Cia de Dança Viviane Macedo, tem diversas apresentações em diversos Festivais de Dança pelo mundo.

Dedica-se a dança artística e a dança esportiva de cadeira de rodas onde é pentacampeã na categoria LDW2, Participou de diversos programas de televisão como o Encontro com Fatima Bernardes, Mais Você da Ana Maria Braga e o Teleton entre outros.

Palestrante conta a sua história enquanto deficiente e como soube transformar as dificuldades encontradas no dia a dia em desafios.



Veja a participação da Viviane Macedo no programa Encontro da Fátima Bernardes. Cliquei aqui para assistir.
Luciano , atleta paralímpico (levantamento de peso)

Luciano Montanha

Luciano Montanha

Luciano Montanha, 34 anos, é natural do Rio Grande do Norte. Há 7 anos, por intermédio de um convite de amigo, iniciou a carreira de atleta paraolímpico (levantamento de peso). Logo na primeira competição, em 2009, levantou 70 quilos. Hoje, Luciano dobrou seu limite, levanta uma média de 140 a 145 quilos. É tetracampeão brasileiro; medalha de bronze no Parapan-Americanos de Toronto, no Canadá (2015); medalha de bronze no regional das Américas (Cidade do México); medalha de ouro no mundial de anões nos Estados Unidos, entre outras conquistas. Com esse desempenho na modalidade, foi convidado pela equipe de organização dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 para fazer um vídeo promocional do evento. Esse comercial foi usado para uma campanha de venda de ingressos dos Jogos Paralímpicos. A partir desse vídeo, que fez muito sucesso, criou uma palestra motivacional e realiza eventos em todo brasil. Por meio de sua experiência com o esporte, ele indica o caminho para a vitória nos mais variados desafios que enfrentamos no dia a dia. Já palestrou em diversos eventos corporativos, governamentais, em universidades, além de participar de programas inclusivos em instituições como o SESC.



Evandro Bonocchi, ator profissional, estrategista em vendas e coach.

Evandro Bonocchi

Evandro Bonocchi

40 anos, é ator profissional, estrategista em vendas e coach. Ficou paraplégico em 2005, após ser vítima de um acidente de motocicleta. Como cadeirante já realizou façanhas incríveis. A maior até agora foi percorrer o desafiador Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, uma rota de 790 quilômetros. Realizou esse feito inédito em 2013 – ao lado de outro companheiro cadeirante – por meio de uma bicicleta adaptada para se pedalar com as mãos. Criou duas palestras especiais sob o tema "Tocando a Vida sobre Rodas" e Resiliência, com qual realizou eventos em grandes corporações como a Embraer, Bradesco Seguros, TOTVS, Faap, Univap, ETEP, Embratel, Poupa Tempo, World Bike Tour, entre outras. O conteúdo aborda temas gerais do trabalho em equipe, metas e objetivos, superação de obstáculos e grandes mudanças. Quer saber um pouco mais sobre ele? Dá uma olhada nesse trechinho de uma das suas palestras. "Não se conforme com as críticas. Não dê ouvido aos nãos. Desacredite dos limites, e, principalmente, acredite em seus sonhos. Planeje, trace a estratégia e vá para a ação, pois sem atitude, nada é possível. O nome desse jogo é vida. E a regra para a vitória: a resiliência".



Jefferson Maia formado em Pedagogia. É autor de palestras motivacionais pelo Brasil.

Jefferson Maia

Jefferson Maia

Profissional com formação em Pedagogia. É autor de palestras motivacionais pelo Brasil, oficinas de arte e sensibilização, além de projetos sociais voltados para as pessoas com deficiência. Ficou tetraplégico há 27 anos, após ser atingido por um tiro na coluna cervical em decorrência de um assalto. Lesão que posteriormente foi agravada num acidente de carro, provocado pelo consumo de bebida alcoólica.  É artista plástico, e pintor exclusivo da APBP  (Associação de Pintores com a Boca e os Pés), com obras reproduzidas em calendários e cartões postais, atuando em várias exposições e concursos. Também exerce outras atividades. É agente de Educação da Operação Lei Seca; Conselheiro/Colunista do Jornal Na Luta; Capitão da 1ª seleção de Rugby nos jogos da Colômbia em 2008; Coleciona títulos nas provas de Pesca Desportiva Adaptada da Confederação Brasileira de Pesca  (CBPDS), é ex-coordenador e fundador da Alas PCD’S e da G.R.E.S Tradição e das Mirim, Estrelinha da Mocidade e Mel do Futuro. “As diferenças entre os indivíduos são as únicas certezas que nos assemelham, ou seja, são exclusivamente por essas diferenças que somos iguais; No nosso coletivo somos grupo e não bando; pois é no grupo que podemos ter coesão; E se somos únicos em nossas características temos especificidades, que podem agregar potencialmente construindo o todo; Podemos ter no âmago, com orgulho a razão do ter e de ser: indivíduo.”



Adria Santos maior medalhista paralímpica mulher do Brasil, velocista com 13 medalhas paraolímpicas.

Adria Santos

Adria Santos

Maior medalhista paralímpica mulher do Brasil, 06 Jogos paraolímpicos, 13 medalhas paraolímpicas, 76 medalhas internacionais, 583 medalhas nacionais.
Adria perdeu a visão devido à retinose pigmentar e do astigmatismo congênito, perdendo totalmente a visão em 1994. Começou a carreira de velocista em 1987, aos 13 anos de idade, no Instituto São Rafael, em Belo Horizonte. Hoje exerce a profissão de Agente motivacional da empresa Tupy na cidade de Joinville. Com uma trajetória de vitórias e superação, Adria está preparada para levar para sua empresa e equipe, histórias de superação, motivação e garra.

Confira a reportagem do Globo Esporte sobre a atleta Adria Santos. Clique aqui para assistir.

Sara Bentes, cantora, compositora e atriz ela é premiada internacionalmente com participações em festivais de arte nos Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Tailândia e Argentina.

Sara Bentes

Sara Bentes

Cantora, compositora e atriz (registrada com DRT), Sara Bentes é premiada internacionalmente com participações em festivais de arte nos Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Tailândia e Argentina. Sua experiência musical inclui música brasileira, música internacional e música infantil, em apresentações solo, com banda, com orquestra e coro. Em 2012, em parceria com amigos e com o pai, Sergio Bentes, ela lançou seu primeiro CD infantil, intitulado “Faz Sempre Sol”. Sara integrou a companhia de teatro Mix Menestréis e o Teatro Cego, ambos em São Paulo. Atua ainda na dança – experiência em ballet clássico, dança contemporânea, dança de salão e dança do ventre, circo, tem experiência em lira. Em 2011, lançou seu primeiro livro intitulado “Fotografias Poéticas de um Olhar Viajante”, pelo Clube de Autores. Já em 2013, lançou o livro de crônicas “Quando Botei a Boca no Mundo”. É palestrante e consultora de inclusão de pessoas com deficiência. Desenvolveu o projeto “Percepções”, para o programa Fantástico (Rede Globo), uma expedição de três meses que passou por nove países da América do Sul. Foi entrevistada na novela América (Rede Globo), cantou no quadro Mulheres que Brilham, do programa Raul Gil (SBT), cantou no programa Todo Seu, de Ronie Von (TV Gazeta), entre várias outras participações em programas de TV e documentários.

Roseane Ferreira dos Santos teve a perna amputada depois de um acidente e mudou sua vida desde então. Rosinha, como é conhecida, trocou a vida de empregada doméstica pela de atleta.

Rosinha Santos

Rosinha Santos



A pernambucana Roseane Ferreira dos Santos teve a perna amputada depois de um acidente e mudou sua vida desde então. Rosinha, como é conhecida, trocou a vida de empregada doméstica pela de atleta. No atletismo, ela achou seu talento nas provas de arremesso de peso e lançamento de disco. Em sua estreia paraolímpica, em Sydney-2000, Rosinha conquistou o ouro em ambas. Ela ainda participou dos Jogos de Atenas-2004 e Pequim-2008.

Exemplo de obstinação e garra. Essas são as palavras que resumem a vida e carreira da atleta Rosinha.

Em suas palestras Rosinha leva um pouco da sua experiência de vida, deixando uma mensagem de superação e vitórias para os colaboradores, fato que modifica a visão desses dentro das corporações.

Confira a reportagem do Esporte Fantástico com a Rosinha Santos: Clique aqui para assistir

Roberto dos Santos Pinto trabalha com consultoria de recursos humanos, contratação e treinamento de pessoas com deficiência.

Roberto dos Santos Pinto

Roberto dos Santos Pinto

Formando em Psicologia (UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro 1980) e Pós-graduado em Psicossomática Contemporânea (UGF – Universidade Gama Filho 2009) .Trabalha com consultoria de recursos humanos, recrutamento, seleção, contratação e treinamento de pessoas com deficiência para cargos de todos os níveis, com emissão de pareceres. Especialista em análise grafológica, reunião de equipe, levantamento de necessidades, elaboração de questionários, formulação de propostas de treinamento, elaboração de programas de treinamento, pesquisa. Também atua como instrutor de treinamento, coordenação de equipe, desenvolvimento e acompanhamento de programas de treinamento, acompanhamento das atividades técnicas e administrativas de seleção e treinamento, coordenação de equipe de analistas na operacionalização e acompanhamento de programas de ações motivacionais. Roberto oferece consultoria para empresas, com apoio técnico e treinamento de profissionais de recursos humanos em estudo de compatibilidade de cargos e tipos de deficiências, avaliação de acessibilidade ambiental, recrutamento e seleção de profissionais com deficiência Intelectual entre outro. Palestrante experiente desde 1985 aborda o assunto de sensibilização nas empresas com temas como Recrutamento e seleção de profissionais com deficiência, gestão e pessoa com deficiência, inclusão da pessoa com deficiência.

Assista o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=ggQdTqLRNn4

Luana Cavalcante , idealizadora e estilista da marca de moda inclusiva

Luana Cavalcante

Luana Cavalcante

22 anos, é formada em Design de Moda pela Universidade Veiga de Almeida. Idealizadora e estilista da marca de moda inclusiva "Sweet Angels". Em decorrência de um nascimento prematuro (31 semanas) e da falta de oxigenação do cérebro durante o parto, Luana teve paralisia cerebral, que afetou somente a parte motora. Utiliza andador e cadeira motorizada para se locomover. Como palestrante, conta sua trajetória e experiência com o empreendedorismo no ramo da "moda inclusiva", a importância das ideias inovadoras, e um pouco das estratégias de superação das barreiras e dificuldades em busca da conquista do espaço na sociedade. As palestras motivacionais de Luana têm o objetivo de incentivar o espectador a se superar para fazer a diferença na atividade que desempenha. E elevar a autoestima para o desenvolvimento pessoal, impactando consequentemente no desempenho coletivo.

André David, além da natação, pratica ginástica olímpica, judô e taekwondo.

André David

André David

André David Pereira dos Santos, 40 anos. Formado em Informática, atualmente está cursando a segunda faculdade, de Comunicação Social. Por ter nascido com os braços curtos, começou a fazer um trabalho de reabilitação aos 5 anos de idade. Foi campeão regional e brasileiro de natação nos 50 metros livres, 100 metros livres, 50 metros costas e 100 metros peito, tendo mais de 50 medalhas em competições variadas. Além da natação, pratica ginástica olímpica, judô e taekwondo, modalidades que o auxiliam para fazer a maioria das coisas com os pés. A Associação Fluminense de Reabilitação (AFR) é o quintal de casa do André. Lá, ele aprendeu a acreditar que tudo é possível. Foi paciente e hoje é um dos diretores da instituição. Como representante da AFR, foi conselheiro suplente do Conselho Municipal da Criança e Adolescente. É conselheiro da Associação Brasileira da Síndrome da Talidomida. Participou da fundação do Centro de Vida Independente de Niterói, e representou Niterói em diversas Conferências Municipais, Estaduais e Nacionais, da Assistência Social e dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Também é artesão da Feira do Campo de São Bento – em 2000 se tornou o primeiro brasileiro a tirar a carteira de motorista com os braços muito curtos. Atualmente, trabalha como assessor parlamentar na ALERJ. Em suas palestras motivacionais pelo país, André comprova aquilo que ele mesmo experimenta diariamente no dia a dia: não existe barreira intransponível na vida. A história de André já mudou a realidade de muita gente, e pode mudar a sua também.

Giovanna Maira aborda a inclusão social de deficientes no mercado de trabalho, além de temas que envolvem superação, persistência, motivação.

Giovanna Maira

Giovanna Maira

Tem 28 anos e perdeu a visão com apenas um ano de idade. Foi aconselhada por médicos a estudar música, a com três anos de idade começou a estudar piano. A partir daí não parou mais, passando por teclado, canto popular e canto lírico. Com palestras musicalizadas em empresas e escolas. Aborda a inclusão social de deficientes no mercado de trabalho, além de temas que envolvem superação, persistência, motivação. Tem ensino superior completo em música especializada em canto e arte lírica. Em 2006 foi ganhadora do concurso Rosemary Kennedy promovido anualmente pela Very Special Arts, como resultado disso obteve o seu primeiro show internacional. Já participou de programas de TV como o “Encontro com Fatima Bernardes” e o “Criança Esperança”. Já palestrou em grandes empresas como Santander, Itaú, Eaton, Schincariol, Senac, Senai, TIM, Instituto Ronald Mc Donald, Sindicato dos Metalúrgicos e diversas Prefeituras no interior de SP. “Cantar significa usar o dom que Deus me deu para transformar a vida das pessoas”.

Eliandro Maurat profissional graduado em gestão de pessoas e pós-graduando em Planejamento e Gestão de Trânsito.

Eliandro Maurat

Eliandro Maurat

Profissional graduado em gestão de pessoas e pós-graduando em Planejamento e Gestão de Trânsito.  É um dos palestrantes mais requisitados na área de segurança no trânsito, álcool e drogas. Em suas palestras, aborda questões relacionadas a um dos principais problemas sociais, responsável pelo grande número de mortes e aumento de pessoas com deficiência física no país. “O custo é altíssimo para a sociedade. Contas feitas pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em 2005, e atualizadas em 2010, dão o tamanho do prejuízo. Cada acidentado de moto internado custa ao Estado R$ 955 mil, considerando gastos com despesas de hospital, fisioterapia, reabilitação, anos de trabalho perdido, seguro obrigatório e aposentadoria. Dificilmente essas pessoas voltam a ter o mesmo nível de produtividade de antes do acidente”, adverte Eliandro. Ele é o idealizador dos projetos “Salva Vidas no Trânsito” e “Clubinho Salva Vidas”, com os quais recebeu premiações importantes como o Rio Info 2014 (vencedor do Salão da Inovação com o Projeto Clubinho Salva Vidas, software de educação infantil); Prêmio Maratona de Negócios Sociais SEBRAE/RJ (melhor projeto  de Empreendedorismo Social do Estado do Rio de Janeiro); Prêmio LIONS de Educação para o Trânsito 2013; Medalha George March 2012 – Prêmio concedido pela Câmara Municipal de Teresópolis pelos relevantes serviços prestados à comunidade.

Assista o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=zgVa2r8WJAk

Edgar Jacques Ator e especialista em interpretação para TV pela Escola de Atores Wolf Maya - Oficina de Dramaturgia pela Confraria da Paixão.

Edgar Jacques

Edgar Jacques

31 anos. Ator e especialista em interpretação para TV pela Escola de Atores Wolf Maya - Oficina de Dramaturgia pela Confraria da Paixão (aulas de canto popular com a professora Tucca Fernandes). Em decorrência de um acidente doméstico, Edgar tornou-se deficiente aos três anos de idade. É considerado cego, apesar de conservar uma baixa acuidade visual. Em suas palestras, eventos e apresentações aborda temas que tratam da relação do artista deficiente com o seu ofício de representar; encenação ágil, inteligente e bem humorada; sexualidade; e desmistificando o universo de quem não enxerga: "não existe assistencialismo no âmbito particular". Produz esquetes (peças de curta duração) com temas corporativos específicos, pensados a partir da característica de cada empresa. Em 2013, ajudou a fundar a empresa de produção teatral Habitart (SP). Por intermédio dela, dirigiu a peça de sua própria autoria "Um Homem Comum". Além disso, escreveu o romance "Encontramos o Gato Verde", finalista do concurso literário promovido pelo SESC SP edição 2012/2013.

Adriana Buzelin Diretora, designer, redatora e colunista da Revista Tendência Inclusiva.

Adriana Buzelin

Adriana Buzelin

Sofreu um acidente automobilístico, lesionou a cervical (C5/C6) e ficou tetraplégica por muito tempo. Foram dois anos sem movimento quase nenhum do pescoço para baixo e sem nenhuma perspectiva médica que indicasse melhora. Fez muita fisioterapia, travou uma batalha para viver e encontrar um novo rumo para a vida. A partir disso, começou a perceber que os movimentos começavam a voltar, movimentava o pescoço, os ombros e os braços. Passaram-se anos e, sem descanso, quase se tornou paraplégica, falta apenas poucos movimentos dos braços e das mãos para esta profissional conquistar mais independência física. Tem formação superior em Comunicação Social – Relações Públicas, Comunicação – Produção Editorial, Design Gráfico. Diretora, designer, redatora e colunista da Revista Tendência Inclusiva; Colunista Colaboradora da Revista Reação; Colunista Colaboradora da Revista Acesso; Coordenadora no Estado de Minas Gerais da ONG Essas Mulheres; Realiza cursos de História da Arte, Escultura e Pigmentos, Pintura e Modelagem.

Leandra Migotto, Jornalista, Consultora Técnica em Inclusão, Acessibilidade e Diversidade em empresas, universidades e ONGs.

Leandra Migotto

Leandra Migotto

É graduada em Comunicação Social pela Universidade Anhembi Morumbi, com experiência nas principais publicações do setor e premiada na Colômbia e no Peru pelas suas reportagens. Atua como Jornalista, Palestrante Motivacional e Consultora Técnica em Inclusão, Acessibilidade e Diversidade em empresas, universidades e ONGs desde 1998. Para Leandra, a vida é um desafio trágico e gostoso. Ela nasceu em 1977 com uma deficiência física rara na estrutura óssea. Hoje, com a estatura de 96 cm, usa uma cadeira de rodas para se locomover e é elogiada por seu carisma e talento para conversar com o público sobre convive com os desafios da vida. Em suas palestras, também conta como conseguiu alcançar seus objetivos e concretizar seus sonhos de casar, viver com autonomia, viajar sozinha, e ser ativista social em favor das pessoas com deficiência. Leandra mantém o blog Caleidoscópio – Uma janela para refletir sobre a diversidade da vida, que já conta com mais de 50 mil acessos.

Marcos Rangel, advogado atuante especializado na Lei de Cotas.

Marcos Rangel

Marcos Rangel

Advogado atuante especializado na Lei de Cotas

Ex-aluno e professor do Instituto Benjamim Constant

Radialista desde 1995 atua no comando dos programas Bate Papo Musical, Debatepapo, Projeto Rádio e Um Companheiro em Cena todos em Web Rádio.

Capacitador do Curso Livre Comunicador Integral na Unir.

Um dos primeiros professores e multiplicadores do Sistema Operacional DOSVOX, sistema totalmente nacional e utilizado pelos deficientes visuais em todo o Brasil e América Latina.

Tendo atuado com Professor do SENAC Rio e atualmente no Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência (IBDD) e na Associação União dos Cegos do Brasil

Palestrante atuante em diversas empresas pelo Brasil

Assista o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=sIHdAgh9PGA

Soyane Vargas , Cia Holos de Dança propõe incluir pessoas com diferentes potencialidades no desenvolvimento da dança.

Soyane Vargas

Soyane Vargas

Formada em março de 2012 pela professora Soyane Vargas, a Cia Holos de Dança propõe incluir pessoas com diferentes potencialidades no desenvolvimento da dança. Atualmente, a companhia teve sua atuação ampliada para uma proposta inovadora, que agrega múltiplas linguagens artísticas, passando a ser chamada Cia Holos de Dança-teatro Inclusiva com Cadeira de Rodas. É filiada à Confederação Brasileira de Dança em Cadeira de Rodas (CBDCR), e conta com parceria com o Centro Cultural do CETEP Barreto, onde Soyane Vargas trabalha atualmente. A Cia Holos atua em três vertentes: cia de dança-teatro, projeto social e em pesquisa e aperfeiçoamento profissional. As apresentações têm como proposta a defesa da possibilidade de inclusão social pela arte, e a valorização das pessoas com deficiência como cidadãos capazes de produzir arte. Como reconhecimento, a Cia Holos recebeu o Prêmio de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, em 2014. Já participou de diversas palestras e apresentações: XIV Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade – REATECH SP 2015; “A atividade física na atenção à pessoa com deficiência” (UFRJ); Apresentação na sala da FUNARTE e Ministério Público do Trabalho.

Susana Schnarndorf Ribeiro, nadadora, triatleta, “Meu corpo está parando de funcionar comigo viva”

Susana Schnarndorf

Susana Schnarndorf

Gaúcha de Porto Alegre, tem estilo de vida voltado para o esporte.
Em 1995 descobriu uma grave doença degenerativa, sem cura , chamada MSA, múltipla atrofia dos sistemas ,uma doença reduz sua expectativa de vida. Se transformando em uma das histórias de luta, força e dedicação.
“Meu corpo está parando de funcionar comigo viva. Eu tenho que brigar com ele, pois tenho 40% de capacidade respiratória. Já cheguei a passar mal, ter queda de pressão. Apesar disso, não penso se vou estar andando ou conseguindo falar no ano que vem. Penso que ano que vem tem mundial, tem competição. Literalmente, o esporte me salvou” Essa doença vai paralisando todos os músculo do corpo incluindo o, pulmão e coração, mas Susana encontrou na natação paralímpica um novo começo. Suas Vitórias:
Medalha de Prata no revezamento misto nos Jogos Paralímpicos do rio 2016
Início no Paralímpico 2011 Jogos Parapanamericanos de Guadalajara 2011 3º lugar nos 400 m livres

Jogos Paralímpicos de Londres 2012 4º lugar nos 100m peito 5º lugar nos 200 m medley

Campeã mundial dos 100m peito 2013 3º colocada nos 400m livres

Confira os vídeos:

Susana Schnarndorf fala sobre realização do sonho de ser medalhista paralímpica

Susana Schnarndorf fala da emoção de conquistar uma medalha na Paralimpíada do Rio
Ricardo Steinmetz Alves, atleta medalhista paraolímpico Futebol de 5.

Ricardinho Alves

Ricardinho Alves

Nome: Ricardo Steinmetz Alves
Apelido: Ricardinho
Data de nascimento: 15 de dezembro de 1988 (27 anos)
Local de nascimento: Osório – RS
Residência: Porto Alegre - RS
Time atual: AGAFUC (Associação Gaúcha de Futebol para Cegos)
Posição: ala-esquerda
Número da camisa: 10
Seleção brasileira: desde os 15 anos (primeira convocação) é o capitão

HISTÓRIA:


Aos seis anos, Ricardinho Alves começou a luta contra o problema de visão (descolamento de retina).
Até os oito foram cinco cirurgias, mas não conseguiu a cura. O garoto que adorava futebol achou que o sonho de virar jogador profissional tinha acabado. Para que Ricardinho pudesse levar uma vida melhor, os pais se mudaram com toda a família de Osório para Porto Alegre. Na capital, ele começou a estudar no Colégio Santa Luzia, uma referência para deficientes visuais. Lá conheceu o professor Dodô, que o incentivou e descobriu todo o talento de Ricardinho para o futebol de 5. Os treinos deram certo. Ricardinho utiliza toda a memória visual (cores, formato) da infância para fazer os movimentos. Ele acha que o fato de já ter enxergado o ajudou e ainda ajuda muito. Quando começou a treinar, tinha tudo bem vivo na memória. A maneira de chutar a bola, o passe, o drible ...
Aos 12 anos, Ricardinho já jogava contra meninos de 15 a 17 anos, e, com 15, foi convocado pela primeira vez para a seleção brasileira.



Espirito de vencedor



Futebol de 5 no Parapan from MPIX on Vimeo.



Não tem explicação eu entreguei na mão de Deus



Mundial de Futebol de Cegos (Futebol de 5) 2014 | Vídeo Release 24/11 Parte 2 from MPIX on Vimeo.

Claudia G. Rombaldi, coordena e produz diversos eventos sociais, Palestrante na Reatech 2012 e  2013.

Claudia G. Rombaldi

Claudia G. Rombaldi

Formada em Educação Física, é especialista em atividade física para pessoas com deficiência (UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora) e pós-graduada em Esporte Adaptado (Universidade Gama Filho). Coordena e produz diversos eventos sociais. Tem habilidade nesses segmentos: Rugby com cadeira de rodas; produção e organização de eventos; atividades desportivas e paradesportivas; avaliação física e funcional; ginástica especial para crianças e 3ª idade; ginástica localizada, step, jump, rítimos; hidroginástica; musculação; natação; personal trainer, técnica de vôlei sentado; ginástica laboral. Já participou de grandes eventos como o Pan-americano de Karatê – CAIO MARTINS – NT/1989; Palestrante no Projeto Criança Esperança – (UCB) /1991; Olimpíada Municipal da Criança e Adolescentes de Niterói – NT/1991; Congresso Paraolímpico 2010; Congresso Paraolímpico 2011/ 2012  e 2013; Jogos Paraolímpicos Escolares 2011; Jogos Paraolímpicos Escolares 2012;  Palestrante na Reatech 2012 e  2013.

Maria Dias, aborda temas como “O Papel da Família na vida da PCD; “A Inclusão Social e artes Cênica”; “Acessibilidade, Cidadania e Inclusão.

Maria Dias

Maria Dias

é pós-graduada em Socialização de Deficientes e Marginalizados, e Responsabilidade Social. No Rio de Janeiro, é formada em fisioterapia pela Faculdade Integrada Augusto Motta (SUAM). Trabalhou como fisioterapeuta em comunidades de baixa renda, onde desenvolveu um trabalho de orientação domiciliar para prevenção de escaras e deformidades, orientado pelos direitos da pessoa com deficiência e deveres da família. É palestrante em Congressos, Seminários, Universidades, Igrejas, Escolas e Empresas. Aborda temas como “O Papel da Família na vida da PCD; “A Inclusão Social e artes Cênica”; “Acessibilidade, Cidadania e Inclusão; “Mitos e Verdades a Respeito da Deficiência”. Tem publicações em revistas, participações em coletâneas, e no livro “Poetas Ocultos”. Participou do programa do Fantástico, da Rede Globo, no Quadro “Pai herói como exemplo de amor”. Foi coordenadora da 1ª Conferência Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em Manaus. É autora das peças de teatro: “Que mundo é esse?”; “Um planeta encantador” (adaptação do Patinho Feio); “Monólogo Simplesmente Maria”, “Que mundo é esse”. Em razão de sua valiosa contribuição social, já recebeu diversas menções honrosas, entre elas o título de “Mulher Amazonense” (Governo do Estado do Amazonas); reconhecimento da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas pelo engajamento na luta pela inclusão social; Troféu Cecília Meireles – "Mulheres Notáveis" (Manaus); Comenda Ordem Internacional ILHA da MADEIRA (sob o n. 03M-2015). Maria Dias reforçou o time de palestrantes da 14ª edição da Feira Internacional de Tecnologia em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade – REATECH (abril de 2015, em São Paulo), com a palestra "Surpresas da Vida".

Veronica Hipolito atleta paralímpica, vice-campeã das paralimpiadas 100m rasos e 3 colocada nos 400m rasos Paralimpíada do Rio.

Veronica Hipolito

Veronica Hipolito

Nascida em São Bernardo do campo, se encontrou no judô com 10 anos, mas, com 13 anos ( 2009 ) descobriu um Tumor na cabeça e teve que fazer uma cirurgia para a retirada dele. Após isso, não podia mais tomar impactos do quadril para cima e teve que sair da modalidade. Seu pai a incentivou a praticar atletismo após um festival, quando ela tinha 14 anos, mas com 15 (2011) teve um AVC e o lado direito do corpo paralisado. Voltou a andar tendo o atletismo como parte da reabilitação, e em 2013 passou a fazer parte do movimento paralimpico, mesmo ano que ganhou o campeonato mundial de atletismo. Verônica é mais uma que leva consigo histórias de superação e garra, que com certeza vai motivar todos que assistirem sua palestra.

Títulos :

Campeã mundial 200m rasos e vicd campeã 100m rasos
Campeã Parapanamericana 100,200,400m rasos e vice campeã do salto em distância
Vice campeã das paralimpiadas 100m rasos e 3 colocada nos 400m rasos ( Paralimpiadas do Rio )
Recordista das Américas 100, 200, 400m rasos e salto em distância.



Alexandre Luiz , palestras com abordagens sobre necessidades das pessoas com deficiência, orientações básicas para uma melhor relação pessoal com as pessoas com deficiência.

Alexandre Luiz

Alexandre Luiz

Ministra palestras com abordagens sobre questões relacionadas à realidade e necessidades das pessoas com deficiência, proporcionando ao público as orientações básicas para uma melhor relação pessoal com as pessoas com deficiência. É formado em História pela FEUC; presidente e fundador da ABRACES – Associação Brasileira de Reabilitação e Assistência aos Cegos e Surdos desde 2011. Também atua como professor de história em escolas particulares e professor do Instituto Benjamin Constant.

Jornalista formada pela Universidade de Brasília. Se especializou em reportagem especial, documentário e política internacional em Madri.

Jessica Paula

Jessica Paula


Jornalista formada pela Universidade de Brasília. Se especializou em reportagem especial, documentário e política internacional em Madri. Deficiente física desde os 6 anos de idade, ela usa suas muletas para ensinar pessoas a transformarem problemas em sucesso.
Andou, sozinha, por mais de 20 países. Conheceu tribos indígenas, campos de refugiados, trabalhadores escravos, ciganos, dentre outras experiências. Em seu último trabalho viajou, também sozinha, para áreas de risco entre Etiópia, Sudão, Sudão do Sul e Uganda, e escreveu material inédito sobre o conflito da região. Um livro premiado.
É diretora de formação e capacitação do Sindicato dos Escritores – DF. Atua como palestrante, escritora, consultora em desenvolvimento pessoal e empreendedora.

Katya Hemelrijk da SilvaCasada, mãe de 2 filhos e portadora de Osteogenese Imperfeita (Ossos de Vidro).

Katya Hemelrijk da Silva

Katya Hemelrijk da Silva


Casada, mãe de 2 filhos e portadora de Osteogenese Imperfeita (Ossos de Vidro).

Formada em Administração de Empresas pela PUC (1998) e Design Gráfico pelo Senac (2002). Em 2003 abriu, a Dizáine Comunicação e Eventos, agência focada em atender pequenas e médias empresas que precisavam de um plano de comunicação profissional com um custo acessível.

Em 2006, voltou para o mercado coorporativo e foi trabalhar na Natura Cosméticos, onde fez uma carreira sólida e está até hoje, como coordenadora sênior de comunicação.

Consultora de acessibilidade e inclusão, com palestras no curso de psicologia da PUC/SP, na empresa Mondelēz International (workshop de reposicionamento de marca), no RioGaleão (importância da acessibilidade em aeroportos), evento Gestão RH (inclusão de pessoas com Deficiência no mercado de trabalho), entre outras.

Convidada pelo ministério da aviação civil a ser membro da comissão de acessibilidade em aeroportos das Paralimpíadas 2016.

Desde 2003 é integrante do projeto Mix Menestréis da Oficina dos Menestréis.

Escritora do blog www.simplesassimasp.blogspot.com.br, que tem como objetivo trazer para o leitor, uma forma simples de encarar os desafios do dia a dia.

Geraldo Nogueira tem 22 anos de atuação na advocacia, foi por dois mandatos membro do Conselho Pleno e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB/RJ.

Geraldo Nogueira

Geraldo Nogueira


Geraldo Nogueira tem 22 anos de atuação na advocacia, foi por dois mandatos membro do Conselho Pleno e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB/RJ.

Em 1990 sofreu um acidente de carro, o que lhe causou uma paraplegia, mas Geraldo não desistiu de seus sonhos, investiu seu potencial nos estudos jurídicos, principalmente, voltados para defesa dos direitos humanos, sendo hoje a área de sua principal atuação.

Advogado militante nas áreas do Direito Civil, Direito Processual Civil e Direito da Pessoa com Deficiência, em caráter contencioso ou preventivo, tendo exercido assessoria jurídica junto a instâncias do governo estadual e municipal, para assuntos correlatos aos direitos da pessoa com deficiência.

Na área acadêmica ministrou curso de extensão sobre a constituição jurídica de organizações não governamentais na Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ.

Proferiu palestras para os membros do Ministério Público Estadual, Federal e do Trabalho, participou de congressos, seminários, simpósios e debates, tendo publicado artigos sobre os direitos da pessoa com deficiência.